16 março 2016

SEMPRE ESTRADA



SEMPRE ESTRADA


Sempre Estrada é o nome de uma peça de teatro revista levada à cena no Cine-Teatro S.Martinho em Penafiel, no dia 28 de Julho de 1962, pelo Grupo Cénico Penafidelense.

Esta não era mais uma peça como todas as outras que o grupo apresentou, mas juntamente com ela a despedida de um dos melhores actores que fazia parte deste elenco Leandro Sanhudo.

Em cena - Albino Monteiro,  Margarida Aires de Sousa, Leandro Sanhudo, Helena Pinto,Mário Cerqueira e Bernardino Correia de Sousa


Mais uma vez da autoria de José Mendes Magalhães, Sempre Estrada era composta em 2 actos,4 quadros e 30 números.

A receita dos bilhetes revertia a favor da Casa da Sagrada Família de Penafiel.
Os mesmos podiam ser adquiridos na Casa Mimosa e na bilheteira do Cine-Teatro S. Martinho.

Os preços eram os seguintes:

Tribuna e Plateia

As 6 primeiras filas da Plateia - 20$00 as restantes filas 17$50

Balcão

As 4 primeiras filas 10$00, as restantes 7$50

Como sempre o autor José Mendes Magalhães, explorou costumes locais com imensa graça, levando ao palco a vida do dia a dia na cidade, sem melindrar quem quer que seja.

No decorrer da representação surgiram números de belo efeito como:

- Pinturas da cidade
- Leiteirinhas
- Adeus Primavera
- Zatopeques Albardeiros
- Penafiel a dançar
- Adeus futebol
- Sagrada Família
- Cafés da cidade

Se todos os intérpretes amadores do grupo deram o seu melhor desinteressadamente, num gesto de simpatia com o colega que subiu pela última vez ao palco, Leandro Sanhudo era o mais felicitado no final.

1962 - Muitos dos elementos do Grupo Cénico Penafidelense em palco.



Componentes do Grupo:

- Judite Quintas
- Margarida Aires de Sousa
- Mafalda Reis
- Helena Pinto
- Bernardino Correia de Sousa
- Alcina Lopes
- Maria José
- Alice Sanhudo
- Albino Monteiro
- Elisabete Caldeira
- Margarida Lopes
- Joaquina Garcês
- Leandro Sanhudo
- Manuel Vieira
- António Nogueira Cardoso
- Mário Cerqueira
- Álvaro Alves Augusto
- Augusto Quintas
- Alberto Sanhudo
- Emílio Marafão
- Júlio Monteiro
- Justiniano Babo
- Francisco Nogueira
- José Venâncio da Rocha
- António Ribeiro
- José Sanhudo
- Alípio Lopes
- Joaquim Rocha
- Carlos Ferreira Pinto
- Jacinto Santos
- António Vieira

Sob a direcção de: Eduardo Monteiro e António Ferreira Nunes

Ensaiadores: Joaquim Ribeiro de Oliveira e Fernando Ribas da Cunha

Ponto: Martinho Ferreira Nunes

Contra - regra: António Estrela e José da Silva Freitas 

Cenários de: Libertário Alves Ferreira e Adrião Leal

Montagem de cena de: Gabriel Ferreira Nunes

Orquestra sob a regência de: Armando F. Cancela

Carro Alegórico do Grupo Cénico Penafidelense na parada nas Festas da Cidade de 1963


Hoje restam-nos estas lembranças deste sábado à noite diferente, mas bem passado com o Grupo Cénico Penafidelense, no Cine-Teatro S, Martinho.

Não podia terminar este texto, sem um agradecimento ao Sr. Albino Monteiro, pela cedência das duas fotos do Grupo Cénico Penafidelense em cena, no ano de 1962.